Guaxupé, sexta-feira, 30 de julho de 2021
Agropecuária

Especialíssimo da Cooxupé recebe cafés especiais desta safra

quarta-feira, 21 de julho de 2021
Especialíssimo da Cooxupé recebe cafés especiais desta safra Processo de avaliação dos lotes de café selecionados no Programa Especialíssimo no ano de 2019 (Foto: Revista Cafeicultura/Divulgação)o

Programa da cooperativa premia os 50 lotes selecionados, estimulando os cooperados na produção deste tipo de café

O prêmio Especialíssimo da Cooxupé está confirmado para 2021. Desde o mês de abril a cooperativa está recebendo os cafés para participação do Programa.
A premiação é aberta somente para os produtores cooperados. Entretanto, serão, no total, selecionados os 50 melhores (maior pontuação) lotes.
As categorias são Cereja Descascado e Natural da safra cafeeira deste ano na área de atuação da Cooxupé. Entre as novidades deste ano está a premiação em dinheiro, representando uma soma total de R$ 330 mil.
Assim, todas as categorias também terão o valor de prêmio maior do que em 2020.
Além disso, os cooperados premiados terão a oportunidade de integrar os blends de cafés de edições limitadas e especiais produzidas pela Torrefação Cooxupé.
 
Para participar do Especialíssimo Cooxupé
Os cooperados devem considerar as amostras reais de depósito e seguirem alguns critérios como:
1-Quantidade mínima de 10 sacas por lote;
2-Estar com o CAR – Cadastro Ambiental Rural atualizado nos órgãos competentes e na Cooxupé;
3-Ter fidelidade mínima de 80% na cooperativa;
4-Possuir boas práticas na produção e colheita, com no mínimo de 75% de resultado obtido no questionário de Diagnóstico de Sustentabilidade do Cooperado;
5-Outros critérios exclusivos do programa são que o produtor não pode fazer parte da Diretoria ou ser colaborador da Cooxupé.

 
Como funciona
A Classificação recebe o café depositado e identifica os lotes partir de 83 pontos. As amostras são encaminhadas à SMC Specialty Coffees para validar as características de café especial.
A avalição dos lotes é realizada por meio de uma prova cega. Os classificadores analisam atributos do café como acidez, doçura, corpo, balanço e retro gosto, aromas como frutados, enzimáticos, caramelados e florais.
Na classificação de qualidade também são separadas as categorias: “natural” – frutos maduros com casca que são secos com polpa e mucilagem – e o “cereja descascado”, quando a casca externa é retirada para se fazer a secagem das sementes.
 
Objetivo
O Especialíssimo foi criado pela Cooxupé desde 2016 para valorizar e incentivar cada vez mais os produtores rurais cooperados que têm se dedicado a produzir cafés especiais, de melhor qualidade. No entanto, a premiação dos 50 melhores lotes ocorre desde 2019.
“A cada ano somos surpreendidos com o crescimento da produção de café de qualidade. Em 2020, por exemplo, o Programa Especialíssimo teve um crescimento de 88% no volume de recebimento de sacas, deixando evidente o comprometimento dos cooperados em relação aos manejos necessários para a produção deste tipo de café, que agrega maior valor e rentabilidade”, afirma Osvaldo Bachião Filho, vice-presidente da cooperativa.
Os cooperados que tiverem dúvidas sobre como participar do Especialíssimo da Cooxupé podem consultar um representante do núcleo mais próximo. Mas, o café deve estar depositado na Cooxupé ou na SMC até o dia 30 de setembro deste ano.
 
Premiação
O lote campeão do Programa Especialíssimo será premiado no valor de R$ 50 mil.
Os segundo e terceiro lugares ganharão R$ 30 mil e R$ 20 mil respectivamente.
Para o quarto lugar a premiação é R$ 13 mil; quinto lugar R$ 12 mil; sexto lugar R$ 11 mil; sétimo lugar R$ 10 mil; oitavo lugar R$ 9 mil; nono lugar R$ 8 mil; e décimo lugar R$ 7 mil.
Quem ficar entre o 11º e 50º lugares a premiação será de R$ 4 mil para cada.
Além disso, os 10 primeiros finalistas receberão também um troféu de participação.
 
Vencedores de 2020
O café arábica produzido pelo cooperado, Wilson Vicente Soares, na cidade de Capitólio, foi o campeão do ano passado e conquistou a premiação de R$ 25 mil. “Esperava pela classificação, mas conquistar o primeiro lugar é muita surpresa. Agradeço a Cooxupé, incluindo a equipe de Piumhi, pelo trabalho desenvolvido junto conosco porque sempre nos incentivou a produzir café de qualidade. É muita emoção!”, definiu.
O café vice-campeão foi de Caldas, também cidade mineira, do cooperado Edir José de Carvalho, que ficou com o prêmio de R$ 20 mil. “É uma alegria imensa. O prêmio em dinheiro é importante, mas o mais especial é que o programa selecionou o meu café conquistando o segundo lugar. Sentimo-nos valorizados pelo nosso trabalho e agradecemos a Cooxupé e a SMC em nos ajudar a ter conhecimento do nível de qualidade do café que produzimos”, disse.
O terceiro lote de café mais bem avaliado foi de Nova Resende, no sul mineiro, do cooperado Ricardo Bachião D’olivo, premiado com R$ 15 mil. “Sou cooperado desde 1981, quando assumi uma propriedade do meu falecido pai. Minha produção começou em 86, mas a de café especial vem desde o ano passado. Agradeço a Cooxupé, especialmente aos profissionais da área técnica porque muito nos ajudam a produzir café de qualidade. Sem eles não teríamos como produzir café especial. Além disso, destaco também a relação de confiança entre os cooperados, SMC e Cooxupé, tornando tudo isso possível juntamente com um bom manejo, amor, dedicação na lavoura. Com fé e saúde fazemos tudo!”, afirmou.
Uma equipe de 12 provadores da Cooxupé e da SMC Specialty Coffees, liderada pelo professor da Universidade Federal de Lavras, Flávio Borém, docente com larga experiência no nicho de cafés especiais declarou os resultados.
 

Comente, compartilhe!