Guaxupé, sexta-feira, 19 de agosto de 2022
Cultura

Café com Poesia exala perfumes e tem ritmo suavemente dinâmico

sexta-feira, 10 de junho de 2022
Café com Poesia exala perfumes e tem ritmo suavemente dinâmico A narrativa do vídeo exala perfume de fumaça de café (Fotos: Divulgação)

O audiovisual Café com Poesia, produzido por integrantes do coletivo {A}Bordar, tem uma narrativa que exala perfume de fumaça de café, de feijão apurado no tempero e outros aromas que se dispersaram no tempo.
Criado para o Guaxupé Café Festival 2022, o vídeo tem um ritmo dinâmico para acompanhar as quatro crianças entrevistadas: Antônio Moraes Paulino, 6 anos; Emmanuel Pellozo Bergamasco, 11; Heloísa da Silveira Mariano, 10, e Matheus Pellozo Ayub, 7.
Ao mesmo tempo, o ritmo mantém uma suavidade para falar da história de vida de Dona Jacira, autora da autobiografia poética no livro Café (editora LiteraRUA).
O filme, de 22 min, faz um contraponto entre a memória infante de Jacira, uma criança ativa que ajudava a mãe, e o dia a dia das quatro crianças de hoje em dia. Um deles faz curso de informática; um outro cita o aplicativo TikTok e fala palavras em inglês. Heloísa assiste séries (na TV ou streaming).
Outra dinâmica do ritmo é a alternância das narrações de Ana Clara Moraes, Clara Pallos, Flavinha Wasae e João Pedro Mariano. Todos seguem o andar da carruagem de Dona Jacira, que ouvia Zé Béttio no rádio da cozinha: “Vivi momentos muito duros. (...) Não havia espaço para o desenho, a pintura, ou mesmo para a poesia e menos ainda para a prosa.”
Imagens do preparo do café, com coador de pano e uma mesa farta com biscoitos de polvilho, reforçam que a memória tem paladar e cheiro. Diferentemente da memória de hoje, que é mais audiovisual do que olfativa. O cheiro da poeira de antigamente só está presente na área rural. O asfalto se fez presente nas entradas e saídas de Guaxupé.
Flávia Romeiro Marques, que também assina o roteiro, pede à criançada definições sobre casa, mãe, Guaxupé, quintal. E pergunta se elas gostam de café. Um dos quatro responde que só gosta com açúcar. Outro só toma de manhã, na companhia do pai. Um nem gosta de café, mas também nunca experimentou. Todas essas diversificações também fazem parte da cultura cafeeira guaxupeana.
O projeto Café com Poesia foi aprovado no edital n. 01/2022, de acordo com a lei 1919 - Fundo Municipal de Cultura de Guaxupé. (Sílvio Reis)

Confira as Fotos

Comente, compartilhe!